« Home | Arrestan a periodista independientePor Luis Esteba... » | Golpiza y protesta en el destacamento 8Por Leoncio... » | Denuncio violaciones a los derechos humanos en Kil... » | Golpiza a prisionero de conciencia de los 75 Por L... » | Declaración a la opinión pública nacional e intern... » | CUBA: Golpean salvajemente a periodista independi... » | Escândalo: Cuba proíbe visitas do CICV a prisões ... » | 'LA CRUELDAD CONTRA LOS PRIONEROS POLITICOS QUE LA... » | 'THE CUBAN GOVERNMENT HAS TORTURED ME DURING EIGHT... » | La seguridad del estado cubano encarcela a un jove... »

Novo escândalo em Cuba: Comissão Europeia confirma repressão a Oswaldo Payá e sua família

A Comissão Europeia foi informada pessoalmente por Oswaldo Payá, líder do “Movimiento Cristiano de Liberación” e Prémio Sakharov 2002, acerca da repressão e perseguição a que ele próprio e a sua família têm estado sujeitos pelas autoridades cubanas.

A Delegação da Comissão em Cuba mantém contactos regulares com Oswaldo Payá e tem conhecimento que diversos grupos o têm assediado e à sua família desde meados do mês de Julho, revezando-se para os ameaçar de agressões e insultar, e vandalizar a sua casa.

Um representante da Delegação da Comissão em Cuba, num esforço conjunto com embaixadas de alguns Estados Membros da UE em Havana (entre as quais a da Presidência), deslocou-se a casa de Oswaldo Payá com o objectivo de lhe manifestar pessoalmente, bem como à sua família, o apoio da Comissão.

A difícil situação de Oswaldo Payá está a ser acompanhada pela Delegação e pelas embaixadas dos Estados Membros da UE em Havana na reunião mensal do grupo de trabalho dos direitos humanos, responsável pelo acompanhamento das questões de direitos humanos em Cuba.

Em três ocasiões, a União Europeia tomou todas as medidas administrativas para obter a autorização para que Oswaldo Payá, Prémio Sakharov 2002, viajasse à Europa no contexto da iniciativa Sakharov lançada pelo Presidente do CDS-PP e que visava permitir que Payá se deslocasse à Europa a fim de relatar de viva voz o sucedido em Cuba após a repressão de Março de 2003, mas até agora o Governo cubano não o autorizou a sair de Cuba.

A Delegação manifestou-se preparada para ajudar Oswaldo Payá no processo de obtenção dessa autorização.

Estas informações foram transmitidas a Ribeiro e Castro em resposta uma pergunta escrita que o líder democrata-cristão apresentou à Comissão Europeia, denunciando a situação em que se encontra Oswaldo Payá e procurando apoio da Comissão para minorar os efeitos da repressão levada a cabo pelo regime de Fidel Castro.